Diretrizes éticas para atuação de mediadores

– Dever de imparcialidade
– Dever de zelar pelo equilíbrio de poder entre as partes
– Dever de alertar as partes sobre a necessidade de perícia técnica ou assessoramento de terceiros
– Dever de respeitar a autonomia das partes
– Dever de transparência na condução do processo
– Deveres de competência e diligência
– Dever de confidencialidade
– Dever de zelar pelos interesses de terceiros afetados
– Dever de zelar pela exequibilidade do acordo

Para saber mais, ver:
SOUZA, Luciane Moessa. Diretrizes éticas, capacitação, credenciamento e supervisão da atuação de mediadores e conciliadores: contribuições preliminares. In: SOUZA, Luciane Moessa de (coord.). Mediação de conflitos: novo paradigma de acesso à justiça. 2ª. edição. Editora Essere nel Mondo, 2015.

Veja o artigo na íntegra clicando aqui.

Para conhecer os serviços incluídos em cada uma das linhas de atuação da SIS, clique nas colunas laterais.